Curso Design do Zero

Os Fundamentos do Design Gráfico

 

 

Hoje em dia, muitos designers iniciantes ou amadores valorizam demais o aprendizado dos softwares — e esquecendo de ir atrás da verdadeira base do aprendizado profissional: os fundamentos do design gráfico. Muitos não percebem que o software é apenas a ferramenta que se usa para materializar sua criação, seu projeto.

Um designer sem conhecimento técnico e teórico pode fazer um péssimo projeto com as melhores ferramentas da Adobe. E um designer que conhece a fundo os fundamentos técnicos, teóricos e práticos do design gráfico pode fazer um bom projeto até no Power Point!

Os fundamentos que um designer gráfico profissional deve dominar são:

    • Composição
    • Tipografia
    • Cor
    • Elementos Visuais
    • Projeto / Processo de criação

 

1 – Composição

A composição é justamente o que estrutura todo projeto de design gráfico. Ela nos ajuda a organizar e hierarquizar os elementos visuais dentro do espaço. E também nos auxilia a estabelecer relações entre esses elementos. É fundamental conhecer estruturas básicas como o grid modular e a regra dos terços — entre outros.

Quem não conhece técnicas de composição está sempre “jogando” coisas no papel ou na tela de forma aleatória. E o resultado disso costuma ter uma aparência bem amadora.

 

2 – Tipografia

O texto é elemento vital no trabalho de um designer gráfico. É muito importante conhecer as famílias de fontes, a diferença de desenho entre elas, seus diferentes usos. Um bom designer sabe selecionar, combinar e manipular fontes e textos para que auxiliem na comunicação da mensagem visual de forma coesa com o resto da peça gráfica. Um designer preparado tecnicamente sabe criar manchas de texto, manipulando variáveis como corpo, peso, alinhamentos, orientação, entrelinhas, entre letras, kerning.

Vejo designers, sem esta base técnica, apresentarem uma dificuldade enorme em selecionar e combinar fontes — e muitas vezes arruínam seu projeto com combinações absurdas e exageradas de famílias tipográficas — o que dá tom amador às suas peças gráficas.

 

3 – Cor

A cor é importante na comunicação visual pois influencia o observador de maneira psicológica e até (como a ciência já prova) fisiológica. Além disso, é inegável a sua força como atributo simbólico. Sendo assim, o designer deve conhecer muito bem a teoria das cores, o círculo cromático, os diferentes sistemas de cor e esquemas de cores (monocromático, análogo, complementar — além das tríades, tétrades etc) .

Quem desconhece a teoria das cores ou não sabe aplicá-la vai estar sempre “chutando” combinações de cores, muitas delas incompatíveis com a peça gráfica ou com a mensagem que seu cliente deseja passar.

 

4 – Elementos Visuais

Se design gráfico fosse teatro, com certeza, os elementos visuais (ou elementos gráficos) seriam os “atores” da nossa “peça” visual. Por isso, é preciso conhecer bem cada elemento para que haja uma composição funcional, harmônica e coerente. 

Os principais elementos visuais que um designer deve dominar são: linhas, formas, padrões, texturas, imagens e ilustrações. Por isso, é preciso saber as funções de cada elemento, como utilizá-los e quais são suas variantes.

E não podemos esquecer um elemento visual que muitos designers não sabem utilizar: o espaço em branco, conhecido também como espaço negativo ou espaço vazio. Um dos pontos que diferenciam um designer amador de um profissional é justamente como ele lida com o espaço vazio. Um designer amador, normalmente preenche todos os espaços do projeto, não deixando área para respiro, sufocando o observador de tanta informação visual.

 

5 – Projeto / Processo de Criação

Infelizmente, muitos designers iniciantes e as vezes até designers atuantes não seguem um processo de criação, uma metodologia de projeto. Trabalham em sistema anárquico, de puro caos. E seus resultados, naturalmente, passam longe da eficiência.

É extremamente importante para o designer ter uma metodologia de projeto consistente com etapas de criação bem definidas. É essencial para se chegar a um resultado eficiente e rápido para seu cliente.

Não podemos depender apenas de intuição ou lampejos de criatividade. O projeto de design é algo bem racional, com objetivos de comunicação bem definidos. É necessário ter um método eficiente que te leve da criação do conceito inicial até a apresentação final ao cliente.


 

Conclusão

APRENDER MAIS sobre cada um desses fundamentos do design gráfico não é tarefa fácil mas, certamente, irá torná-lo um designer mais profissional e mais preparado para atender clientes melhores, maiores e mais exigentes (e com maior retorno financeiro). Não é um diploma que separa designers profissionais de designers amadores — é o conhecimento técnico, teórico e prático em Design Gráfico . 


 

Curso Design do Zero