5 – Designer Gráfico ou Artista?

Os 7 Segredos do Design de Capas de Livros são sete artigos curtos e bem objetivos que tratam desde temas básicos até os problemas do dia a dia em relação ao processo de design gráfico editorial. O Objetivo é positivo: tentar esclarecer melhor este “árduo” processo e melhorar a relação do designer gráfico editorial com todos os profissionais envolvidos nesta produção: editores, autores, produtores e livreiros. Afinal, temos um ponto em comum que sempre vai nos unir: compartilhamos o amor por este objeto precioso chamado livro.

Qual a diferença entre um designer e um artista visual?


A) Área de atuação
O artista plástico ou visual atua na área de Artes. O designer gráfico pertence à área de Comunicação.

B) Propósito
A verdadeira arte não tem objetivo ou propósito, nunca está acabada, arte é o processo em si. Na arte não existe certo ou errado, feio ou bonito, arte é uma expressão bem pessoal, única. Daí sua riqueza. A arte plástica não pode ser julgada como bem-sucedida ou não, já que, nem o artista, muitas vezes, nos seus anseios, sabe onde quer chegar.
Já o designer gráfico tem objetivos bem específicos e pré-determinados de comunicação. O cliente estabelece através do briefing esses objetivos a serem atingidos — e o trabalho do designer é julgado seguindo estes parâmetros.

C) Ferramentas
Aqui está o grande ponto em comum — e que gera a confusão. O artista plástico e o designer gráfico podem se utilizar das mesmas ferramentas (manuais ou digitais) e dos mesmos processos de criação e produção para fazerem seu trabalho.

D) Mensagem
O designer sempre atua tendo o desafio de passar uma mensagem visual clara e objetiva. Já o artista não deveria ter esta preocupação, pelo contrário, muitas vezes deve explorar e destacar as ambiguidades de sentido e significado para causar certas reações em seu público. Uma arte é rica quando permite diversas interpretações do observador, muitas vezes opostas e contraditórias. Já um projeto de design seria falho se tivesse tal flexibilidade de interpretação.

E) Foco
O artista expressa em seus trabalhos sua própria opinião, suas reflexões, sentimentos e pensamentos. É a essência da arte: a autoexpressão. Já o designer tem a missão de expressar pensamentos, opiniões e objetivos de outros (um autor, uma empresa, um jornalista, uma instituição) muitas vezes ignorando ou relevando sua opinião pessoal sobre o tema. O que seria impossível para o verdadeiro artista.

F) Público
O público do artista plástico é aquele que gosta, admira e, principalmente, se relaciona e se identifica com seu trabalho, com sua proposta artística. O artista nunca deve se adaptar a seu público, é o público que é atraído (ou não) pelo que o artista visual faz. Já o designer tem o público-alvo determinado pela necessidades do cliente — e muda seu estilo, sua abordagem visual e sua linguagem de acordo com o público determinado com quem vai “dialogar”. O artista atua de dentro (seus objetivos) para fora (público). O designer atua de fora (público) para dentro (seus objetivos).

G) Liberdade
O maior desejo do artista é ter total liberdade para criar, se expressar, se manifestar através da linguagem que escolheu. O designer não. O designer precisa que seu cliente lhe dê limites pré-estabelecidos, que são os objetivos a serem alcançados, as expectativas em relação a comunicação e as informações técnicas nas quais o projeto será desenvolvido — resumindo: para o designer gráfico não existe trabalho sem briefing.

Se você gosta de design editorial e produção de livros como eu...

...então, certamente eu gostaria de conhecer você! Deixe seu nome e e-mail que eu te aviso se tiver conteúdo novo e útil sobre o tema: um post no meu blog, um vídeo novo, um webinar em vídeo, uma palestra marcada ou até um workshop presencial. Vem para a lista do Capista!

* indicates required