OS 7 SEGREDOS DA CRIAÇÃO DE CAPAS DE LIVROS

Como um designer capista trabalha? Quais são as etapas do processo de criação de capas de livros?

3 – O processo de criação de capas de livros

Para trabalhar melhor com seu designer e obter o melhor resultado para as publicações é crucial compreender como este profissional trabalha.

O ponto mais importante deste post é mostrar que o trabalho do designer não é meramente intuitivo — existe um processo bem técnico e formal por trás do trabalho de criação visual.

Para ilustrar este post, vou compartilhar com vocês meu processo de trabalho (lembrando, claro, que não é o único processo existente ou válido)

——————————————————
Divido o processo em duas grandes etapas:

INPUT << (entrada de dados e informações)
OUTPUT >> (transformação destas informações em projeto visual).

ETAPA 1: INPUT

a) BRIEFING DO CLIENTE (Editora ou Autor)
Recebimento e entendimento das informações técnicas do livro e das expectativas comerciais e editoriais da Editora ou do Autor quanto à obra.

b) PESQUISAS
• pesquisas sobre o perfil da editora, perfil do autor, outras obras do autor, informações gerais sobre o assunto e capas de livros de editoras concorrentes sobre o mesmo assunto;

• pesquisa de imagens (fotos, desenhos, ilustrações) que tenham a ver com o assunto. O propósito disso é familiarizar-se com o universo visual do tema/assunto do livro.
——————————————————

ETAPA 2: OUTPUT

a) BRAINSTORM / esboços e estudos
Usando as informações coletadas na etapa 1, é hora de deixar as ideias correrem soltas em um pedaço de papel. Livrar-se de preconceitos e pré-julgamentos. Não importa se a ideia pareça tola ou inapropriada: o importante é colocá-la no papel, desenhar, rascunhar — e guardar tudo para o próximo passo.

b) FILTRAGEM
Utilizando o filtro da razão e de nosso conhecimento técnico sobre comunicação visual, pegamos todos os rabiscos, ideias e conceitos gerados na fase anterior e selecionamos o que pode ser realmente pertinente para a capa que estamos desenvolvendo. Hora de escolher quais caminhos podem evoluir para um bom projeto de acordo com a solicitação da Editora ou do Autor.

c) LAYOUTS
É a fase de materializar em forma de layout as ideias selecionadas na etapa de filtragem. Nesta fase é que utilizamos os softwares específicos. Eu utilizo para montagem dos layouts o Adobe InDesign. Alguns designers preferem montar suas capas no Adobe Illustrator ou até no Adobe Photoshop, mesmo não sendo os programas ideais para isso.

d) APRESENTAÇÃO
Apresentar cinco ou seis layouts ao cliente apenas para “mostrar serviço” não é muito positivo. Mostra que o profissional não tem certeza sobre a solução gráfica para o projeto. Na verdade, um número de layouts elevado acaba confundindo e dificultando a escolha do cliente. Com dois ou três layouts é possível ter uma discussão mais séria, técnica e mais editorial sobre o caminho a escolher.

e) AJUSTES / feedback do cliente
É muito difícil obter um feedback (retorno/avaliação dos layouts apresentados) claro e objetivo dos clientes — por isso, cabe ao designer ajudá-los e orientá-los de forma a receber as informações que realmente o farão fazer ajustes importantes para aproximar o layout das expectativas da Editora ou do Autor.

f) PRODUÇÃO GRÁFICA
Este é o momento de discutir com o cliente os detalhes de impressão, acabamento — ideias para dar aquele algo mais à capa. Normalmente quando criamos um layout já temos ideia quanto ao tipo de acabamento mas sempre é bom discutir com o cliente — já que a escolha pode gerar custos adicionais de impressão. Muitas editoras tem em sua equipe um produtor gráfico ou um produtor editorial que atua como tal — isso torna a discussão com a Editora ainda mais rica na busca de soluções para a capa.

g) ARTE FINAL
Esta é a penúltima etapa e a que tem menos mistérios. É a montagem do(s) arquivo(s) com a arte-final da capa para impressão em gráfica — marcas de corte, marcas de dobra, incluindo a aplicação dos acabamentos entre outros detalhes.

h) IMPRESSÃO
Nesta última etapa incluo os testes, provas de cor e a impressão em si. Em minha área de atuação, o designer faz mais um acompanhamento a distância, ficando de prontidão para prestar qualquer apoio ou consultoria ao cliente — principalmente no caso de dúvidas ou problemas que podem ocorrer na etapa de impressão.

Gostou desta seção? Aprendeu algo com ela? Tem alguma dúvida?
Comente, pergunte, escreva para mim. Adoro sua participação e seus comentários!